Investigadora do CEFH, Celmira Macedo, premiada como uma das melhores especialistas mundiais na área do empreendedorismo e inovação social

 

Celmira Macedo, investigadora Doutorada do Centro de Estudos Filosóficos e Humanísticos (CEFH) da Faculdade de Filosofia e Ciências Sociais da Universidade Católica Portuguesa, em Braga, foi distinguida como Ashoka Fellow pela organização “Ashoka Empreendedores Sociais”. A Ashoka é uma organização internacional sem fins lucrativos, fundada em 1980 pelo americano Bill Drayton, especializada em empreendedorismo e inovação social e que conta atualmente com uma comunidade de mais de 3600 empreendedores sociais em cerca de 90 países.

Celmira Macedo foi reconhecida esta semana em Espanha (Bilbau), pela metodologia inclusiva de aprendizagem do alfabeto que desenvolveu, denominada EKUI (“Equidade, Knowledge, Universalidade e Inclusão”). Implementado desde 2015, a EKUI, uma metodologia inovadora com um Desenho Universal para a Aprendizagem, concretiza-se através de um conjunto de cartas com quatro formas de expressão e representação, que associa às letras do alfabeto, os seus sons e a forma de os produzir (alfabeto fonético), a língua gestual, os movimentos motores e o código Braille. Desse modo, promove assim, uma estimulação multissensorial e inclusiva para aprender a falar, a ler e a escrever. Sediada em Vila Nova de Gaia, a EKUI está presente em 419 escolas do país e em 320 localidades diferentes. Segundo a premiada, esta metodologia “ativa os diferentes canais sensoriais, que acionam, em simultâneo, diferentes áreas do cérebro, tornando a aprendizagem mais eficaz e mais motivadora”.